Francisco Mabjaia: Alcinda Panguana e Rady Gramane são heroinas do Boxe moçambicano

O vice-presidente do Comité Olímpico de Moçambique Francisco Mabjaia, disse na segunda-feira 2 de Março, que as atletas moçambicanas Alcinda Panguana e Rady Gramane qualificadas para os Jogos Olímpicos são heroinas do Boxe moçambicano.

Mabjaia referiu ainda durante a recepção da delegação de Boxe que representou o país no Torneio de Qualificação Pré-Olímpica que teve lugar em Dakar, capital do Senegal, que a qualificação das duas pugilistas moçambicanas no evento é motivo de orgulho para o país, “por tando, só temos razões para felecitá-las e ficarmos satisfeitos e orgulhosos com este feito do Boxe moçambicano que se junta ao das atletas de Vela que há mês atrás também qualificaram-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio… acredito que todo o povo moçambicano neste momento está com as atletas, com o Boxe moçambicano celebrando esta victoria que apareceu em Fevereiro, mês dos heróis, facto que as torna heroinas do boxe moçambicano”.

Por sua vez o Presidente da Federação Moçambicana de Boxe Gabriel Júnior, classifica o evento como o progresso que este desporto está a registar em Moçambique desde os três anos para cá, como prova refere que: “fomos campeõs da África Austral, fomos vice-campeões da África, chegamos aos quarto de final do campeonato do mundo e agora qualificamos o maior número de atletas para os Jogos Olímpicos, isto significa que há um trabalho a nível do Boxe, desde as academias, os atletas, os treinadores e a própria federação que sobre tudo prepara recursos para que a nossa seleção tenha a melhor prestação.”

Alcinda Panguana qualificou-se ao vencer a ugandesa Emily Nakalema na categoria dos 64-69 Kg, por 5-0, mesmo resultado conseguido por Rady Gramane diante da pugilista do Gana, Ornella Sathoud nos 69-75 Kg.

As atletas de boxe juntam-se a Deyse Nhaquile, Denise Parruque e Maria Machava, velejadores de 19, 17 e 15 anos, respectivamente, alargando a lista para cinco atletas moçambicanos qualificados para os Jogos Olímpicos do Japão, número que segundo afirmou o vice-presidente da Comissão Executiva do Comité Olímpico de Moçambique constitui um recorde em termos da participação do país comparativamente com a edicão anterior daquele que é o maior evento desportivo do mundo.

Veja Também